carga3Nesta quarta-feira, 12, após reunião da Câmara Municipal, foi realizada audiência pública sobre carga e descarga de mercadorias no município.

carga1

O presidente da Câmara, Alexandre Pereira da Silva – Alexandre da Auto Escola – vem estudando essa temática desde o final de 2013, quando naquela época esboçou o projeto “Carga e descarga com hora marcada”, que prevê a criação de Zonas de Restrição de Operação de Carga e Descarga (ZRCD).

O projeto esboçado pelo presidente cria pontos estratégicos específicos de serviços de carga e descarga, bem como horários para a realização dos serviços, ficando sob a responsabilidade do Departamento Municipal de Trânsito (DEMUT) a competência para definir as ZRCD, e autorizar, em caráter extraordinário, a carga e descarga de bens e mercadorias em logradouros específicos pertencentes às ZRCD definidas, podendo condicionar as exceções à contratação de orientadores de trânsito credenciados.

carga2

– Nossa ideia está bastante adiantada, mas, não está fechada, justamente por que queremos ouvir a sociedade. Fala-se tanto sobre o trânsito em nossa cidade, e com razão, que desejamos contar com a participação popular nesse projeto. Nós acreditamos que podemos enriquecer o projeto com a participação de todos – disse Alexandre da Auto Escola naquela ocasião.

A AUDIÊNCIA PÚBLICA

Alexandre iniciou os trabalhos da audiência pública e informou que o Poder Executivo encaminhou projeto de Lei para a Câmara.

– Este é um projeto que precisa ser encaminhado via Executivo. E o Executivo fez a sua parte. Está aqui o procurador Geral do Município, Samuel Portela Tinoco, e os representantes do DEMUT, que se empenharam ao máximo nessa questão. É bom ressaltar que nós já realizamos duas outras audiências públicas sobre esse assunto, inclusive com a participação de representantes das transportadoras. Nós não estamos com a intenção de proibir a carga e descarga durante o dia, a ideia é delimitar alguns pontos exclusivos para essa tarefa. O caminhão estaciona e os entregadores levariam a mercadoria até os respectivos estabelecimentos – explica o presidente.

O procurador Samuel fez uma sucinta apresentação do projeto e relatou a questão do horário.

– Fica proibida a carga e descarga de caminhões, nos horários de 8h às 18h em todas as vias e logradouros públicos municipais que tenham maior incidência comercial e cujo fluxo de veículos seja intenso causando retenções no trânsito, exceto em áreas previamente definida pelo Poder Público. Nós precisamos trabalhar juntos, a fim de buscar a melhor solução para o nosso município. Tudo o que for discutido aqui, será somado – reforça o procurador.

Ronaldo Souza Ramos, secretário Municipal de Defesa Civil e Ordem Pública, falou sobre a necessidade de toda sociedade se manifestar.

– Nós precisamos pensar no futuro. Nós não estamos aqui para aplicar multa, não somos uma fábrica de multas, nós estamos trabalhando para buscar melhores condições para o nosso trânsito. Precisamos que toda a sociedade participe dessa discussão e é justamente durante a audiência pública que todos tem a oportunidade de se manifestar – diz Ronaldo.

Logo em seguida, o presidente concedeu a palavra a quem desejasse se manifestar.

DEPOIMENTOS

Orozimbo Valentim, presidente do Conselho Comunitário de Segurança

– As grandes cidades programam a entrega de carga. É comum a gente ver os trabalhadores com aqueles carrinhos de mão, levando a mercadoria até a porta dos estabelecimentos. Isso poderia muito bem feito aqui na cidade – diz.

Silvia Maria de Castro, presidente da ASAPI – Associação Santo Antônio dos Pobres de Itaperuna

– Há carretas que fazem entregas para empresas nas proximidades do asilo e isso atrapalha o fluxo normal naquele local. Peço que olhem também aquele espaço, como em alguns outros bairros. Itaperuna tem crescido, mas, precisamos ver alternativas para melhorar o nosso trânsito – reforça.

Emanuel Medeiros, o Nel, vereador

– Aproveito a oportunidade para novamente falar sobre a possibilidade de estabelecer mão única na Vinhosa. Eu, assim como o presidente Alexandre da Auto Escola, estamos há tempo falando sobre essa questão. Aproveito ainda a oportunidade para solicitar que de imediato seja realizado um teste no local. A população já manifestou esse interesse – argumenta.

Sérgio Zampier, vereador

– Hoje nós vamos ouvir a população e anotar todas as sugestões para que juntos, possamos debater e buscar a melhor solução para o nosso trânsito. Toda ideia, toda sugestão será muito bem vinda. Esse é o momento em que nós precisamos unir forças – diz.

Edmilson Ladeira, presidente do Sincomércio

– A ideia de criar uma comissão é muito boa e depois a gente irá conseguir administrar as questões futuras, principalmente no que diz respeito às outras ruas, inclusive as ruas dos bairros. Já em relação ao carregamento da carga, também há a possibilidade da utilização de carro menor, indo até ao local do desembarque. Isso pode gerar mais vaga de trabalho – lembra.

Elias Pinheiro de Mattos, funcionário público

– É preciso pensar na possibilidade de adequar as calçadas, a fim de que os funcionários que irão transportar as cargas no carrinho, consigam fazer o seu trabalho com mais facilidade. Existem muitas calçadas que não estão preparadas para isso – afirma.

Diversas outras pessoas puderam se manifestar. Ao final, o presidente Alexandre propôs que independentemente de futura aprovação do projeto de Lei é importante começar a fazer testes nos locais apontados.

– São questões de atitude e nós precisamos testar algumas situações. Não podemos ter vergonha de errar. Vamos montar um grupo de trabalho para realizar esses testes. Quero que essas reuniões deem frutos e vire realidade – finaliza o presidente, que agendou para o início da próxima semana reunião com as transportadoras e encontro com o grupo de trabalho.

Informação: Eusébio Dornellas / Agência Comuniqque